quarta-feira, 28 de outubro de 2009

Corrida - O prazer da superação

Com novos adeptos a cada dia e muitas vezes indicada para melhorar o condicionamento físico, a corrida também seduz pelos benefícios estéticos.
Ganhar disposição, abandonar maus hábitos, melhorar o condicionamento físico e, de quebra, perder uns quilinhos é mais do que bem-vindo. Em busca destes e outros benefícios, a corrida ganha mais adeptos a cada dia. Organizados em associações, acompanhados de personal trainers ou solitários, os corredores ocupam bosques, parques e pistas de caminhada, especialmente nos finais de tarde.
Há um ano e meio, a professora e magistrada Valéria Franco vem seguindo a orientação médica para praticar a corrida e já coleciona participações em provas de destaque nacional, como a Meia Maratona Internacional do Rio de Janeiro. Valéria dedica duas horas por semana ao esporte. “Me sinto muito melhor”, diz. Ela praticava hidroginástica, alongamento e ginástica localizada antes de começar a correr.
O executivo comercial Luís Carlos Martins Branco também se rendeu aos benefícios da atividade física que substituiu o futebol em sua vida. Pela corrida, Branco deixou de fumar, passou a dormir mais cedo e ficou mais disciplinado, além de filiar-se à Associação dos Corredores de Rua de Maringá (Acorremar). “Sempre gostei de esportes, mas ainda não havia me identificado tanto”, diz ele.
Na avaliação do executivo, o desafio é o grande mérito da atividade. “A competição é com você mesmo, com seu melhor desempenho, e não com o adversário. Isso é muito bom”. Das provas em que participou, Branco guarda a lembrança da confraternização entre os competidores ao final da competição, em clara demonstração de que o mais importante é participar e terminar a prova.

Cuidados

No entanto, engana-se quem acredita que basta um par de tênis nos pés e boa vontade na cabeça para correr e entrar em forma. De acordo com a personal trainer Regina Thon, o primeiro passo é marcar uma consulta com um cardiologista para saber se o coração aguenta o esforço.
A dica é válida principalmente para os hipertensos, fumantes e quem está com sobrepeso, já que a atividade exige muito do sistema cardiovascular. “Muitas vezes não sentimos a fadiga do organismo por conta do esforço”, alerta Regina. Segundo ela, um dos aliados dos candidatos a corredor é o frequencímetro, aparelho que mede os batimentos cardíacos e acusa qualquer alteração importante.
Com cinco alunos ‘corredores’, Regina não sai de casa sem ele. Taiane Machado de Oliveira é uma delas. Apesar de já correr há oito anos, ela respeita os limites de seu organismo e nunca exagera no esforço.
“Nunca passei mal correndo, o que é comum quando não se tem muito claro até onde o corpo pode ir”, diz ela. Ao lado da professora, Taiane participou da Prova Rústica Tiradentes este ano, e confessa que a maior satisfação foi ter cruzado a linha de chegada. “São 10 quilômetros, né?”
A personal trainer vê no aumento do número de competições de rua um dos motivos para o crescimento dos atletas. Este ano, além da Tiradentes, houve a Maringá Night Run, a Maratona de Revezamento Pare de Fumar Correndo Vanderlei Cordeiro de Lima e a Meia Maratona de Maringá.
Orientações seguidas, incluindo o tênis que deve ser adequado, a boa forma vem a passos largos. “Não adianta pensar que a forma física vem em dois meses. É preciso ter paciência”, lembra Regina.

Fonte: O Diário do Norte do Paraná

Um comentário: