terça-feira, 28 de abril de 2009

Correr vira estilo de vida nas metrópoles

RIO - Não precisa pagar mensalidade nem cumprir horário. Só é preciso um caminho e um bom par de tênis. A recompensa aparece logo: emagrecimento, manutenção do peso e disposição, mesmo para quem não abre mão dos prazeres à mesa. Por isso a corrida de rua é o esporte que mais cresce no mundo. E ser corredor vem extrapolando os limites da forma física e se tornando um estilo de vida, especialmente nas metrópoles.A Corpore, uma associação de corredores sem fins lucrativos com sede em São Paulo, tinha 227 mil praticantes cadastrados no final de 2008, um crescimento de 24,7% em relação a 2007 e 26 vezes maior do que o número registrado em 1997, quando a entidade contabilizava 8,5 mil corredores no Brasil. A entidade, fundada em 1982, foi criada para apoiar maratonistas brasileiros que corriam no exterior, como Joaquim Cruz, medalhista de prata em Olimpíada. Na época, seus associados eram atletas porque a legislação não permitia profissionalização de maratonistas.
Nos anos 90, o número de corredores amadores começou a aumentar. No fim dos anos 80, a maioria dos praticantes corria por recomendação médica. Depois o foco mudou para a forma física e o que vemos hoje é que a corrida se tornou um estilo de vida, analisa o presidente da Corpore, o psicoterapeuta David Cytrynowicz, de 61 anos.
As corridas de rua perderam o foco na competição e se transformaram em eventos de lazer e confraternização. Enquanto alguns gostam de correr sozinhos e veem no esporte a chance de um momento de introspecção, boa parte dos esportistas tem vida social em torno da corrida. Ter companhia é um dos motivos que levam os corredores a associarem-se a uma equipe. Na orla do Aterro do Flamengo, Leblon, Ipanema e Lagoa, no Rio, há mais de dez de tendas onde, por um preço menor do que o de uma academia, os corredores têm treinamento individual.
Cuidados
: Apesar de ser um esporte que pode ser praticado por qualquer pessoa, a corrida pode provocar lesões e até a morte, como foi o caso do brasileiro José Carlos Gomes, de 58 anos, que morreu na Maratona de Nova York, no ano passado. A atividade física melhora o coração, mas se ele estiver fraco demais ou houver uma doença cardíaca preexistente e ignorada, pode matar, explica o médico de esporte Miltom Mizumoto.
Por isso, antes de começar a correr, especialmente homens acima de 35 anos e mulheres acima de 45 devem fazer um eletrocardiograma de esforço e um hemograma, recomenda. Entre os benefícios da corrida estão a melhora no condicionamento físico e a prevenção ou melhora da diabete e da pressão arterial. Nos primeiros três meses, já se consegue a melhora na saúde. Depois disso, começam os ganhos na performance. Mas o médico pondera. Se botar treino em cima de treino, o músculo estoura. Comer e não fazer nada também tem de fazer parte do treinamento.
Fonte.: estadao.com.br

4 comentários:

  1. Frank excelente post, tudo que vc falou vc tem razão, parabéns amigo.

    Complemento também aquI que realmente a corrida tem o poder de nos transformar, mais como vc disse aqui também ela perdeu o foco, pois muitos dos organizadores só querem saber de lucrar...

    Obrigado pela visita e lhe desejo bons treinos.

    Um abraço,

    JORGE CERQUEIRA
    www.jmaratona.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Ótima matéria...o pedestrianismo tornou-se mesmo um estilo de vida extremamente atraente. Conjumina bem estar físico, metal e até espiritual. Um meio q pode cultivar lições de vida e momentos de descontração. Fui atleta competitivo e hj aprendo coisas novas com esta nova forma de praticar meu corpo.
    Linda Família, Frank. Parabéns tb pelo teu espaço e disposição em passar coisas para para os navegantes do ciberespaço. Estarei aqui mais vezes...
    Gde. abraço de um jornalista apaixonado pelas muitas formas do esporte...


    Everton
    www.beijingolimpica.blogspot.com,
    www.londresolmpica.blogspot.com e
    www.vancouverolimpica.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Viva! Apesar de nós que praticamos sermos minoria, é bom saber que não estamos nesta luta contra o sedentarismo!

    ResponderExcluir
  4. Aqui em SP é só observar o número dos participantes nos últimos 05 anos, entre 07 e 08 tivemos um boom muito grande de novatos.
    Por um lado é bom por outro é ruím mas a corrida realmente tem o dom de transformar a vida das pessoas.
    E parabéns por ter baixado teu tempo nos 5km.
    Richard
    runningbrazil.blogspot.com

    ResponderExcluir